Loading

loading icon
dianova | Testemunhos
132
page-template-default,page,page-id-132,page-child,parent-pageid-1794,ajax_updown_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,
title

Testemunhos Tratamento de Dependências

Pedro L.

Olá eu sou utente na Comunidade Terapêutica Quinta das Lapas, actualmente encontro-me com 6 meses de programa.

Vim para Comunidade Terapêutica devido ao meu consumo de heroína e cocaína e por não estar a encontrar um bom rumo para a mim. A Dianova tem estado a ter um papel fundamental neste processo de mudança na minha vida, voltei a restabelecer hábitos que tinha perdido durante estes últimos anos, hábitos de higiene, viver em sociedade, respeito por mim e pelos outros, relações familiares que estavam muito debilitadas, etc…

Sem dúvida alguma hoje sinto-me mais forte e muito melhor pessoa!!!!

Maria J.

Olá, eu sou uma residente na Dianova.

O início do tratamento foi difícil para mim, mas com a ajuda da equipa técnica consegui passar os meus dias de uma forma normal, como nas atividades do dia-a-dia, que é zelar pela comunidade terapêutica Quinta das Lapas. Temos também grupos onde eu me sinto bem e consigo receber ajuda para as minhas dificuldades.

Com toda a ajuda que recebo, recuperei o que tinha perdido no passado: a confiança com a família e amigos e nas pessoas que me rodeiam. Isto fez-me sentir bem na comunidade e nas tarefas que fazemos. Fazemos também cozinha, lavandaria, coordenação e acompanhamento dos utentes recém chegados.

Sinto-me bem na Comunidade Terapêutica Quinta das Lapas – Dianova.

Família M.L.

Sou a filha mais velha de uma utente que está internada na CT Quinta das Lapas, finalmente sinto que consegui recuperar a minha mãe, houve dias da minha vida que achei que a ia perder para sempre… dias em que me senti cansada, zangada e cheia de raiva porque as drogas e o álcool pareciam mais importantes do que a minha vida e do meu irmão! Já adultos soubemos organizar a nossa vida, mas ficava sempre a faltar alguma coisa… Fiquei muito feliz com a entrada da minha mãe na Dianova, recuperei a tranquilidade de poder viver o meu dia-a-dia sem medo que o telefone tocasse e fosse mais uma má noticia sobre a minha mãe! Hoje sinto que recuperei a minha mãe e que sem drogas e álcool ela continua muito importante para mim. Gosto dos tempos que passamos juntos, gosto de a ouvir fazer planos e quando vou à Quinta sinto sempre que sou acolhida numa “família grande”. Agradeço e valorizo todo o trabalho que tem feito com a minha mãe, sei que não é uma mulher fácil! Eu quase desisti…

Francisco B.

Tenho 50 anos e vim por causa da cocaína, sou adito.

Sou um dos utentes da Comunidade Terapêutica Quinta das Lapas – Dianova e estou no fim do programa.

Fui muito bem recebido e senti-me acarinhado pela equipa. Tive uma óptima evolução, desde emoções, responsabilidade, entre outras. A nível terapêutico foi óptimo.

Fizeram-me ver a vida de maneira diferente, se não fosse a terapia jamais pensaria assim neste momento.

Tem todas as condições reunidas para o bem-estar, evolução e mudança dos utentes. A minha terapia foi muito importante para o meu crescimento aqui na comunidade.

Espero que continuem assim, mantenham a terapia e muita porque faz todo o sentido.

Devo muito a esta equipa, todo o esforço que já fizeram por mim. O homem que sou hoje devo á equipa e aos utentes.

 

Família C.L.

Sou o pai do C.L. até estar em tratamento na CT Quinta das Lapas, vivia sempre com o coração nas mãos. Nunca sabia como o podia encontrar, nem quando viria para casa e em que estado. Era uma aflição constante! Chegou a um momento em que eu e a minha mulher não sabíamos mais como o podíamos ajudar. Ele não deixava que nos chegássemos a ele. Felizmente, surgiu a oportunidade do C. ser internado e tratar dos seus problemas e da sua dependência. Já era muito difícil haver comunicação entre nós. Desde que ele foi para a CT, conseguimos começar a falar e melhorar a nossa relação. Hoje vejo que conseguiu criar hábitos e rotinas e aceitar que tem de assumir responsabilidade pelos seus comportamentos e atitudes. Graças à equipa da CT, C. conseguiu reorganizar-se e trabalhar as suas dificuldades e fragilidades. Hoje em dia conseguimos estar com o nosso filho sem haver discussões e agressividade. Sinto que cresceu muito e que o ambiente e dinâmica da CT foi o melhor para ele poder voltar a viver, sem recorrer a drogas.

 

Joana M.

Sou a esposa de um utente alcoólico, tenho 51 anos e a minha vida e da minha família mudou muito com o processo de dependência de álcool do meu marido. O A. nunca foi um homem violento fisicamente, mas eu e as minhas filhas já não aguentávamos mais as mentiras e as manipulações, a chantagem emocional… sentíamos constantemente que a nossa vida familiar se perdia e se desorganizava a cada dia que passava e que chegava a casa bêbado ou que começava a beber logo de manhã… a vergonha que sentíamos era cada vez maior e pedir ajuda foi a última alternativa. Consegui ser firme e dizer-lhe que só me mantinha casada com ele, se decidisse tratar-se e foi nessa fase que conheci a Dianova por aconselhamento de uma Assistente Social da autarquia.

Agora sinto que tudo mudou na nossa vida, parece que ganhámos um novo homem e todos estamos agradecidos ao trabalho que a equipa da Dianova desenvolveu e toda a paciência que teve para nós, sempre disponível e atenta para apoiar as nossas questões.