Arruinado? Quais as Probabilidades? A Perturbação do Jogo - dianova

Loading

loading icon

12 Jan / Arruinado? Quais as Probabilidades? A Perturbação do Jogo

Arruinado? Quais as Probabilidades? A Perturbação do Jogo

A perturbação do jogo, vício do jogo, jogo patológico ou ludopatia, existe em praticamente todos os grupos sociodemográficos. Todavia, adolescentes e jovens estudantes estão mais vulneráveis. Da lotaria, jogos de casino, casino online, slot machines, bingo, poker, apostas desportivas a videojogos, são variadas as formas de jogo.

Por exemplo, o poker é um jogo popular entre jovens. Muitos estudantes jogam até 10 horas ou mais por dia, levando-os a faltar às aulas ou mesmo abandonar a escola. Um estudo Canadiano revela que 20% dos jovens que jogam online jogam com maior frequência e têm maiores problemas educacionais ou financeiros.

Um aumento da acessibilidade de oportunidades, tradicionais e online, e a apresentação pelos Media como torneios desportivos e o culto do herói, incrementam a frequência e quantidade de jogadores. Sobretudo estes últimos factores acabam por amplificar o jogo como uma alternativa à educação.

Do Jogo patológico à Perturbação do jogo – “Pathological Gambling” para “Gambling Disorder”

O DSM-IV-TR (APA, 2000) incluía o Jogo na categoria de Perturbações do Controlo dos Impulsos Não Classificados Noutro Lugar. Acrescentou o critério de diagnóstico de contar com os outros para obter dinheiro. O objectivo é regularizar uma situação desesperada devido ao jogo.

Todavia, o DSM-V (2013) transferiu esta adicção comportamental para a categoria Perturbações Relacionadas com Substâncias e Perturbações Adictivas. Especificamente para o sub-grupo Perturbações Não Relacionadas com Substâncias.

Esta adição é semelhante cognitiva, neurobiológica, genética e comportamentalmente com a dependência de substâncias. Verificam-se os mesmos sintomas (tolerância, craving, abstinência) e comorbilidades psiquiátricas e alterações cerebrais.

A dimensão da perturbação do jogo patológico em Portugal

A prevalência de jogo a dinheiro em Portugal é de 65,7%, sendo mais elevada nos homens e entre os 35-44 anos. Segundo Relatório do SICAD 2017, a prevalência é ainda mais elevada nos que:

> detém um grau médio de escolaridade (2º e 3ª ciclo, e secundário).

> nos que trabalham.

> nos agregados com rendimentos mensais brutos de mais de 1.000€.

Por outro lado, 20% dos jovens utilizam a Internet para práticas de jogo de forma regular: pelo menos 4 vezes nos últimos 7 dias. É mais comum nos rapazes (39%) do que nas raparigas (5%). O jogo a dinheiro online verifica-se em 2% dos jovens, sobretudo rapazes.

O Relatório salienta que há uma relação directa entre a prevalência da prática de jogo a dinheiro, consumos mais nocivos de álcool e de outras substâncias. Os ex-fumadores apresentam uma prevalência de jogo a dinheiro mais elevada.

 

Riscos e consequências que o Jogo envolve

O DSM-V define a perturbação do jogo como “o comportamento problemático do jogo persistente e recorrente, levando a deficiência ou angústia clinicamente significativa”.

Os efeitos negativos da perturbação do jogo entre jovens estudantes vão muito para além de incorrer em dívidas. Esta perturbação está positivamente associada com consumo excessivo de álcool, tabaco e cannabis / haxixe.

Pode levar a consequências como:

> interacções tensas

> delinquência

> comportamental ilegal

> com resultados a curto e longo prazo para a pessoa, a escola, a comunidade.

Os jovens com perturbação de jogo têm maior risco:

> para depressão severa.

> aumento de abuso de álcool e de drogas.

> ansiedade severa.

> consideração e/ou tentativa de suicídio.

Procure ajuda para o seu problema de jogo

Tem problemas para conseguir recuperar das suas perdas? Não deixe que o jogo arruíne a sua vida. A Dianova pode ajudá-lo.

Saiba mais em Dependência de Internet, Gambling, Gaming ou ligue 261 312 300.