loading icon

24 Jun / Dianova lança campanha Empoderamento Humano

APOSTANDO NA CAPACIDADE DE ESCOLHER

Com a campanha Empoderamento Humano, a Dianova visa promover uma perspectiva holística do tratamento da dependência com base no empoderamento individual.

> Em Portugal, as drogas ilícitas mais consumidas são a Cannabis, seguida do MDMA/Ecstasy e Cocaína sobretudo entre os jovens adultos (15-34 anos). #EDR19

> Estimam-se 33.290 utilizadores de elevado risco de opiáceos em Portugal, 13.160 utilizadores de drogas injectáveis. Em consequência, resultando em 1,7%/milhão de novos casos de HIV e 81,5% de HVC, a taxa mais elevada na EU). E ainda com 0,7% de utilizadores de cannabis.

> Do total de 27.150 pessoas, entraram a tratamento 39% por utilização de heroína, 37% cannabis e 17% cocaína.

> O impacto do duplo estigma nas mulheres traduz-se em que das 5 pessoas que recebem tratamento, apenas 1 é mulher.

Torres Vedras, 24 de Junho de 2019

É neste contexto nacional que, por ocasião do Dia Internacional contra o Abuso de Drogas e o Tráfico Ilícito, a Dianova lança a campanha “Empoderamento Humano”. A campanha tem como objectivo criar uma maior consciencialização sobre a necessidade de promover uma perspectiva holística do tratamento da dependência. Especialmente, com base no empoderamento individual integrando a perspectiva de género.

Através das lentes de um conceito único, o Empoderamento Humano, a campanha abordará em primeiro lugar como apostar na capacidade de escolher. De seguida, promover a educação e as habilidades para a vida. E por fim recuperar o controlo sobre a sua vida e desenvolvimento individual.

Queremos enfatizar que é possível superar esses obstáculos. E é por isso que consideramos urgente promover uma melhor acessibilidade aos programas adaptados às necessidades e expectativas das pessoas. O objectivo final é, por um lado, ajudar as pessoas a recuperar sua autonomia. e, por outro lado, a sua capacidade de tomar decisões responsáveis ​​e bem informadas em relação ao uso de substâncias e comportamentos aditivos.

Do Estigma e Vulnerabilidade ao Tratamento da dependência

As perturbações relacionadas com o álcool e outras substâncias geram uma despesa de saúde pública considerável (0,3% do PIB). Quer a nível de ​​custos humanos, quer económicos. E é necessário um esforço enorme para o Governo adaptar os serviços às necessidades específicas de homens e mulheres.

É de salientar que as mulheres com perturbações por utilização de substâncias são particularmente vítimas de preconceito e discriminação. Por um lado, são “rotuladas” como consumidoras de álcool ou outras drogas. E por outro lado como tendo falhado nos seus papéis tradicionais como mães e esposas. O impacto deste duplo estigma diz respeito ao volume: das 5 pessoas que recebem tratamento, apenas 1 é mulher.

Em suma, a Dianova defende a implementação de programas sensíveis às questões de género, incluindo programas integrados que oferecem uma ampla gama de serviços.

#HumanEmpowerment

-FIM-

Sobre a Dianova Portugal

Organização Social de propósito Sustentável especializada nas áreas da Educação, Juventude, Dependências, Desenvolvimento Comunitário, Apoio Psicossocial e Formação. Membro da rede Dianova International com Estatuto Consultivo Especial junto do Conselho Económico e Social das Nações Unidas (ECOSOC/UN). E em Relações Operacionais com a UNESCO. Inscrita no Registo de Transparência da Comissão Europeia. Membro do Vienna NGO Committee on Drugs (VGNOC), da European Federation of Therapeutic Communities (EFTC), da REDE Nacional de Responsabilidade Social das Organizações RSO PT. Entre outras afiliações e protocolos nacionais e internacionais.

Para além disso, é entidade formadora certificada DGERT (MTSS) e acreditada CCPFC (Ministério da Educação). Certificado o seu Sistema de Gestão da Qualidade NP EN ISO 9001:2015 no âmbito da Reabilitação e Reinserção de Toxicodependentes na Comunidade Terapêutica da Quinta das Lapas. Com menção honrosa PIQ 2014 e 2016/2017, categoria Economia Social. Em particular, pelas politicas exemplares implementadas na área da igualdade entre Mulheres e Homens e da Conciliação entre a vida familiar e profissional.

Em 2018, beneficiaram directa e indirectamente dos nossos programas e acções 92.218 pessoas (jovens e adultos).