Blog

02 Mar / Dianova participa na 63ª Sessão da CND

A Dianova organiza na 63ª Sessão da CND – UNODC três eventos

 

Na 63ª Sessão da CND – UNODC, em que se debate política internacional de drogas e dependências, a Dianova International organiza 3 eventos paralelos. Nomeadamente:

> Os media, um actor chave no campo das drogas.

> Os obstáculos que as mulheres enfrentam ao procurar tratamento relacionado com transtornos por utilização de substâncias.

> A integração de programas de tratamento das dependências baseados em evidências científicas nos sistemas de saúde.

 

Torres Vedras, 2 de Março de 2020. A CND – UNODC, órgão central das Nações Unidas para a política de drogas, realiza a sua 63ª Sessão de 2 a 6 de março em Viena, Áustria. Participam nesta 63ª Sessão da CND representantes das seguintes organizações. Especificamente, Estados Membros, Agências da ONU, Organizações supranacionais, Academia e Organizações da sociedade civil.

 

Como ONG, a Dianova International participa em representação dos membros da rede incluindo a Dianova Portugal.

 

Em primeiro lugar, entre os diversos tópicos a discutir este ano, salienta-se a implementação de tratados internacionais de controle de drogas. Em segundo lugar, uma votação sobre a classificação de substâncias. Espera-se, ainda, que os Estados-Membros discutam a inclusão de 13 novas substâncias sob controle internacional.

 

No entanto, a questão mais importante a este respeito serão as reacções dos Estados-Membros sobre marijuana. Especificamente, seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde. Sobretudo que a cannabis e substâncias associadas sejam reclassificada no enquadramento internacional de controle de drogas. Só para ilustrar, até agora estavam colocadas na mais restritiva classe 1, Anexo.

 

Do ponto de vista da Dianova, outro assunto importante da agenda da 63ª Sessão da CND é a cooperação entre agências dentro do sistema das Nações Unidas. Por conseguinte, a Dianova exorta os Estados Membros a dar maior visibilidade à posição comum da ONU sobre políticas de controle de drogas.

Adoptado em novembro de 2018, este documento promove uma colaboração eficaz entre agências e defende objectivos mais realistas e humanos. Incluindo, por exemplo, a descriminalização da posse de drogas para uso pessoal, entre outros.

 

A Agenda 2030, os #ODS a Saúde, a Educação e as Parcerias no decorrer da 63ª Sessão da CND

 

A contribuição da 63ª Sessão da CND para a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável será discutida na sexta-feira. Como comissão funcional do Conselho Económico e Social, a CND reavalia a sua contribuição para as metas do desenvolvimento anualmente.

 

A Dianova e outras organizações da sociedade civil consideram esta acção essencial. “Não deixar ninguém para trás” é, acima de tudo, a promessa contida na Agenda 2030 que une a comunidade internacional.

 

Assim, a Dianova insta a CND e os Estados Membros a implementarem políticas globais e nacionais de drogas. Nomeadamente, orientadas para o desenvolvimento, saúde e bem-estar das comunidades afectadas pelas drogas.

 

Por outro lado, a CND discutirá cinco resoluções sobre vários tópicos. Em primeiro, a melhoria da recolha e análise de dados. Em segundo, a formação a nível da disponibilidade de substâncias controladas para fins médicos e científicos, E em terceiro, mas não último, o envolvimento dos jovens no campo da prevenção.

 

Eventos Paralelos no decorrer da 63ª Sessão da CND

 

 

A Dianova estará especialmente activa este ano com os nossos parceiros. Com efeito, participa em 3 eventos organizados paralelamente à 63ª Sessão da CND.

> O primeiro abordará a questão dos obstáculos que as mulheres enfrentam ao procurar tratamento para transtornos por uso de substâncias. Contará com a apresentação de um dos seus representantes (3 de março, 9 horas – sala MOE).

> Um segundo co-organizado pela Dianova e a associação Proyecto Hombre. Este é dedicado à integração de programas de tratamento de dependências baseadas em evidências nos sistemas de saúde (4 de março, 8h, sala A). Note-se que Dianova assinou uma declaração por escrito sobre esse tópico, endossada por mais de uma centena de organizações.

> O terceiro e último evento, co-organizado pela Dianova e pelo Governo do Canadá, entre outros. Será dedicado aos Media, um actor importante no campo das drogas (4 de março, 8h, Sala M7).

Os Oradores destacarão como os Media tendem a alimentar uma percepção social negativa das drogas e dos utilizadores de drogas. Sublinharão como os Media podem ser utilizados para evitar o uso problemático de álcool e drogas. e por outro lado, promover o direito à saúde e reduzir o estigma vivido por pessoas que consomem drogas.

Neste contexto, a Dianova elaborou uma declaração por escrito pedindo uma maior coordenação para aproveitar o poder dos Media para estes fins. Esta declaração faz parte da documentação oficial da sessão.

 

Clique para visualizar folhetos dos eventos paralelos na 63ª Sessão da CND:

Os media, um actor chave no campo das drogas.

Tratamento baseado em evidências como parte integrante do sistema de saúde.

Os obstáculos que as mulheres enfrentam ao procurar tratamento para transtornos por uso de substâncias.

 

A Dianova é membro do Conselho do Comité de ONGs de Viena sobre Drogas (VNGOC). Dessa forma, os seus representantes irão participar numa diversidade de eventos. Não só no briefing de boas-vindas, como também nos diálogos informais da sessão na Assembleia Geral. E ainda num evento organizado pela primeira vez pelo VNGOC para os seus membros. O objectivo é facilitar intercâmbios e encontrar uma base comum de acção. Este primeiro evento será dedicado este ano ao tema da prevenção.

 

Em resumo, a Dianova gostaria de salientar que Ghada Fathi Waly fará sua primeira intervenção pública.Com efeito, será a 1º desde a sua recente nomeação como nova Directora Executiva do UNODC.

 

Sobre a Dianova International

A Dianova International é uma ONG suíça comprometida com o progresso social. Especificamente, apoiando o desenvolvimento de programas e projectos destinados a melhorar a vida das pessoas em 19 países e 4 continentes. Dedica-se a defender os seus direitos à saúde, igualdade e integração social por meio de intervenções em organizações e fóruns internacionais.

 

Afiliações

Estatuto consultivo especial do Conselho Económico e Social das Nações Unidas (ECOSOC). Organização da Sociedade Civil Registada na Organização dos Estados Americanos (OEA). Parceiro oficial da UNESCO. Membro do Comité de ONG de Viena sobre Drogas (VNGOC). Membro da Fórum da Sociedade Civil Europeia sobre Drogas (QCA).

By Dianova in Noticias