Gestão do Talento em Organizações Sociais da Península Ibérica

loading icon

24 Jan / Gestão do Talento em Organizações Sociais

Gestão do Talento em Organizações Sociais da Península Ibérica

Em altura de transformações sociais, económicas, políticas e culturais impõe-se às Organizações que desenvolvam estratégias de Gestão do Talento que lhes garantam a sua sustentabilidade. Por conseguinte, é necessário contar com profissionais altamente capacitados, aptos e motivados para fazer frente aos desafios que se lhe apresentam. Este é, assim, o tema do livro Gestão do Talento em Organizações Sociais da Península Ibérica. Conta com um capítulo da autoria da Marta Santos, Gestora do Talento na Dianova Portugal

 

O Caso da Dianova Portugal

Uma Organização não é mais do que um grupo de pessoas com uma visão e objectivos comuns. De tal forma que, o seu sucesso é o reflexo do sucesso dos seus profissionais. São eles que criam vantagem competitiva, e que fazem a diferença. Devido à sua capacidade de trabalho, dedicação e conhecimento do negócio. É importante perceber que isto é algo perceptível e transversal em toda a Organização.

A Gestão do Talento assume-se, assim, como uma área crítica para as Organizações, e, mais ainda, em Organizações Sociais. Por outras palavras, as pessoas assumem uma importância acrescida pelo facto de se estar a prestar um serviço com grande grau de complexidade e imprevisibilidade. Já para não mencionar, em muito assente no conhecimento táctico adquirido.

 

Estratégia de Alinhamento de Competências

Torna-se, dessa maneira, evidente que é essencial que as Organizações Sociais possam contar com os melhores. Sobretudo, é uma necessidade estratégica alinhar competências com objectivos e necessidades da própria organização. Incluindo, por exemplo, avaliar o talento que possuem para saber com o que contam e o que necessitam desenvolver, ou ainda, atrair. Na essência, para que possam alcançar uma clara vantagem competitiva através das pessoas.

Gerir Talentos implica acções continuadas no tempo, para enfatizar o total desenvolvimento das potencialidades de cada uma das pessoas que integra a organização. Para começar, inicia-se no momento do recrutamento e estende-se até à saída da organização.

Para atingir este objectivo, uma das prioridades da Dianova passa por desenvolver um modelo de Gestão de Pessoas | Gestão do Talento. Este modelo atende, de facto, à nossa história, aos nossos valores e à nossa forma de actuar na organização. Desta forma, garante em primeiro, a transparência das acções e decisões. E, em segundo, concilia e articula os interesses da Organização com os interesses das pessoas que trabalham nela. Em resumo, criando um compromisso entre ambas as partes.

 

O Modelo de Gestão de Pessoas | Gestão do Talento Dianova

Este modelo serve como:

  1. Guia orientador de toda a nossa actividade no que diz respeito a gestão de recursos humanos.
  2. Facilitador da realização dos nossos objectivos como entidade e, em particular, sobre as pessoas.
  3. Um conjunto de critérios ou directrizes de acção que agilize a gestão diária dos recursos humanos. e, por outro lado, que unifique a tomada de decisões com base em critérios uniformes.
  4. Igualmente importante, como catalisador dos processos de comunicação dentro da organização.
  5. Ao mesmo tempo, condutor para uma descentralização da função dos recursos humanos. Isto significa que algumas funções podem ser transferidas para os líderes de equipa.
  6. E a longo prazo, factor de maior objectividade na gestão de pessoas que, para resumir, motiva e fideliza os colaboradores. Genericamente falando, porque sabem o que a organização espera deles e o que está disposta a oferecer-lhes.

 

O Modelo de Gestão de Pessoas | Gestão do Talento Dianova baseia-se nos seguintes componentes centrais

> Em primeiro lugar, socialização e incorporação. A fim de optimizar os métodos com os quais a Dianova incorpora novos colaboradores nos seus diversos locais de trabalho. Bem como, as instâncias disponíveis para introduzir estes novos membros na cultura corporativa Dianova. Por outras palavras, na sua missão, visão, valores e processos.

> Em segundo, desenvolvimento de competências através da oferta de formação Dianova aos seus colaboradores. Por outro lado, procura privilegiar determinadas questões que requerem uma abordagem especial. Neste sentido, proporciona as pessoas certas para organismos de formação apropriados, tanto externas como internas.

> Em terceiro, gestão da qualidade de vida no trabalho. Especialmente, através da medição de aspectos objectivos e subjectivos relacionados com o bem-estar e satisfação dos que trabalham na Dianova. E especificamente, definindo opções quer para uma abordagem participativa, quer para a execução de acções pertinentes para a melhoria.

> Em quarto, gestão de desempenho que visa potenciar sistematicamente o desempenho das pessoas. Fá-lo, por exemplo, através de dispositivos formais de segmentação, acompanhamento, avaliação e feedback de desempenho.

> E por último, renovação e a reconversão. Isto implica a mobilidade dos seus trabalhadores na organização, assumindo papéis diferentes, dependendo das possibilidades e necessidades. A gestão desta componente privilegia a tomada de decisões sobre dois processos muito importante. Por um lado, a reconversão de uma parte do pessoal, e, por outro, a projecção de colaboradores jovens na funções de gestão.

 

Os princípios orientadores do nosso Modelo de Gestão de Pessoas | Gestão do Talento cumprem com:

> As nossas políticas e ferramentas que respondem perante a nossa história, os nossos valores e o nosso modo de fazer as coisas.

> O modelo de gestão de pessoas é uma ajuda para a mudança. Não restringe nem burocratiza e ajuda-nos a inovar, adaptar e lidar melhor com o futuro.

> A Conciliação e articulação dos interesses da organização com os interesses das pessoas que lá trabalham.

> O garante do respeito pelas nossas pessoas e a sua participação, assim como a transparência nas acções e decisões aplicadas.

> E acima de tudo, um modelo flexível e unitário.

Marta Santos, Gestora de Pessoas na Dianova Portugal, é co-autora do livro “Gestão de Talentos em Organizações da Península Ibérica“. Coordenado por Dora Martins do ISCAP Porto, e contando com mais 14 autores, foi lançado a 24 de Janeiro, no Porto. Este artigo da autoria da Marta Santos é um resumo do capítulo do livro. Poderá adquirir o livro na RH Editora.