Loading

loading icon
title

Testemunhos Reintegração Sócioprofissional

Manuel J.
33 Anos

Eu não sou desta zona e quando vim para tratamento já vinha decidido a não voltar mais para lá. Eu terminei o meu programa terapêutico no início de 2012 e logo a 14 de Fevereiro do mesmo ano iniciei a trabalhar na Empresa de Inserção da Dianova na área de floricultura. Foi uma oportunidade que agarrei, pois não só consegui arranjar trabalho mais rapidamente como pude ficar ligado à Associação que eu acho muito importante tendo em conta o meu problema.

Poder ficar no apartamento de reinserção foi outra grande oportunidade. Antes de pedir para ir para o apartamento ainda vi preços de quartos em Torres Vedras mas cedo percebi que ia ser bastante difícil assegurar todas as despesas. O tempo que fiquei no apartamento ajudou-me a fazer “um pé de meia”. Foi também importante o apoio psicológico que tive durante esse tempo.

Carolina R.
40 Anos

Eu vim para tratamento devido ao meu alcoolismo que se manteve durante muitos anos da minha vida. Durante esse tempo fui perdendo o gosto pelo trabalho mas acima de tudo perdi a capacidade de perceber que mais que uma fonte de rendimento o trabalho é uma das formas de nos sentirmos válidos e pertencentes a alguma coisa. Na empresa de inserção e acima de tudo com as pessoas que trabalham lá voltei a ganhar gosto por ter uma atividade e acima de tudo redescobri o prazer da minha autonomia financeira.

A minha permanência no Apartamento também foi muito importante para esta etapa da minha vida. Eu acho que estas medidas são muito importantes para o sucesso do nosso tratamento; a possibilidade de nos mantermos ligados por um longo período à instituição ajuda a nossa confiança e á nossa estabilidade.

João C.
52 Anos

Eu tenho uma história muito parecida. Eu também não sou de cá, sou de Amarante, e também quando vim para tratamento vinha com a ideia de recomeçar a minha vida noutro sítio. Eu acabei o meu tratamento em 2009 e ainda estive a trabalhar numas estufas na zona de Santa Cruz mas nada certo. Em 2011 tive a hipótese de ir trabalhar para os Viveiros e pela primeira vez em muitos anos senti verdadeiramente o que é ter um trabalho estável, com um horário certo e principalmente um ordenado ao final do mês e devagarinho conseguir organizar a minha vida. Também consegui entrar no Apartamento de Reinserção. Com ajuda da equipa do apartamento de reinserção consegui ganhar consciência da importância de gerir o meu dinheiro, dificuldade que sempre tive.