Dia Internacional da Mulher

loading icon

07 Mar / Dia Internacional da Mulher

Juntos, para alcançar a verdadeira igualdade de género

 

A Dianova lança a campanha #YourVoice+ para ajudar a erradicar as múltiplas barreiras que impedem que raparigas e mulheres acedam à verdadeira igualdade na educação e no local de trabalho.

 

Torres Vedras, ​​7 de março de 2019: Pelo mundo, existem ainda várias barreiras que limitam o acesso das mulheres ao trabalho ou à educação a que têm direito. Muito já foi feito para garantir direitos iguais aos géneros. Todavia, mesmo nos países mais desenvolvidos, ainda existe uma considerável diferença salarial entre homens e mulheres. Especificamente, para o mesmo tipo de trabalho. Um estudo das Nações Unidas estima que, para cada dólar que os homens ganham, as mulheres ganham 77 centavos, ou seja, uma diferença de 23%.

88% dos países do mundo têm leis restritivas contra as mulheres no trabalho. 59 países não têm leis que penalizem o assédio sexual e 18 países podem proibir legalmente as mulheres de trabalhar. Os benefícios da igualdade de género no local de trabalho podem ser ainda mais benéficos do que se pensava originalmente.

Numa recente entrevista, Christine Lagarde, diretora-gerente do FMI, afirmou o seguinte. Se alguns países pudessem abandonar as suas leis discriminatórias contra as mulheres e aproveitar as suas habilidades competitivas, poderiam aumentar o tamanho das suas economias em 35%. Além disso, de acordo com a ONU, se as mulheres contribuíssem da mesma forma que os homens para o desenvolvimento da economia, o PIB global poderia ter um aumento de 26%.

 

 

Independentemente de todo o progresso realizado nas últimas décadas, hoje ainda há mais raparigas do que rapazes que não recebem educação.

Vejamos um estudo recente da UNESCO. de 63 milhões de crianças entre 6 e 11 anos de idade não têm acesso à educação. 54% são raparigas, em comparação com 58% em 2000. A educação de raparigas representa uma meta essencial para o desenvolvimento da sociedade. Tem sido demonstrado que:

> acima de tudo, mulheres com melhor educação são mais saudáveis.

além disso, são mais propensas a escolhas próprias sobre quando casam e quantos filhos terão.

e, por último, participam mais activamente na vida da comunidade e na economia dos seus países.

 

Alcançar uma igualdade real em termos de educação, remuneração e participação na economia poderia ser um processo de longo prazo. É por isso que todos nós precisamos de contribuir para o avanço desta meta. Em resumo, as políticas nacionais de alguns países precisam de mudar.

> Em primeiro lugar, é essencial abandonar as leis discriminatórias.

> Por conseguinte, ter o princípio da igualdade de género incorporado na Constituição.

> Em terceiro lugar, melhorar os transportes para facilitar o trabalho das mulheres.

> Por outro lado, criar estruturas de acolhimento gratuitas ou de baixo custo.

Por fim, mudar as leis de herança (em alguns países, os homens só podem ter direito à herança completa), etc.

 

“Todos nós temos o dever de agir. Não podemos mais permitir perder os talentos e habilidades de milhões de mulheres. Criar sociedades mais justas, mais sustentáveis ​​e mais equitativas acontecerá com a plena participação das mulheres, ou então não acontecerá.” Montse Rafel, Directora-Geral da Dianova International.

 

#YourVoice+

Inegavelmente, tem o objetivo de dar voz aos homens e mulheres para ajudar a alcançar a Visão da Agenda 2030. Um mundo no qual todos os homens e mulheres beneficiam da plena igualdade de género. E as barreiras legais, sociais e económicas ao seu empoderamento tenham sido removidas.

Assim sendo, junte-se à campanha e responda à seguinte pergunta.

> quais são, de acordo consigo, os obstáculos mais importantes que impedem as mulheres de ter acesso à educação, formação, salário igual e oportunidades profissionais?

Responda a esta pergunta num post, um pequeno vídeo ou um podcast, e insira-a na sua rede social favorita com a hashtag #YourVoice+.

Junte-se ao debate e faça as vozes das mulheres serem ouvidas!